25 de abril de 2017

"Lugar Privativo" - a telenovela

Já vos tinha dito aqui que o meu local de trabalho tem um lugar privativo para os clientes e que, volta e meia, os clientes das lojas em frente ou dos restaurantes estacionam lá como se aquilo fosse deles – os chamados “chicos-espertos”.



Uma pessoa vai lá EDUCADAMENTE dizer que o lugar é privativo para clientes e recebe as mais diversas reações:

“Ah, o lugar não é da loja em frente? Tem a certeza?”
(Claro que tenho a certeza ou pensava o quê? Que ia sair só para lhe dar as boas-vindas à loja em frente?!)

“São só cinco minutos É rápido!”
(Se são só cinco minutos, coloca em segunda fila e quatro piscas, não?)

Mas a que me irritou foi esta: semana passada, um casal estacionou lá uma carrinha. Ele sai e ela fica na carrinha, de janela aberta, a fumar, tranquilamente. Não estava a vê-los a estacionar senão teria ido falar antecipadamente. Quando os vi, já ele não estava mas ela continuava tranquilamente a fumar. Até que olhou para dentro do meu local de trabalho e reparou que eu estava a olhar para ela. Educadamente, e sublinho aqui o EDUCADAMENTE, saio, vou ter com ela e digo-lhe:

“Boa tarde, peço desculpa mas o lugar onde a sua carrinha está estacionada é privativo para clientes da Farmácia. Por favor, retire a viatura e coloque-a em segunda fila.”

Resposta dela (em altos berros):
“FOGO! Nós só estamos a descarregar umas coisas para uma casa aqui da rua. Custa-lhe assim tanto ter um pouco de compreensão?!”

Calmamente (e a deitar fumo por dentro dos olhos), respondo-lhe:
“O lugar é privativo e não tem motivos para estar a falar alto porque a senhora tem o carro mal estacionado. Peço-lhe mais uma vez para retirar o carro.”

Ela:
“Pelo amor de Deus, parece impossível o que está a acontecer. Tanto problema em ter aqui a carrinha estacionada. Se vier algum cliente, eu saio!”

(Entretanto, um dos meus fornecedores está a chegar à Farmácia e precisa do meu lugar para poder estacionar e descarregar as minhas encomendas)

Então eu digo-lhe:
“Então pode tirar o carro do meu lugar porque o meu fornecedor quer estacionar. Das duas, uma: ou tem um pouco de compreensão e tira a carrinha ou então vai ser responsável por provocar uma fila de trânsito enorme. Precisa que seja a polícia a fazer-lhe o convite?

Meus caros, a carrinha desapareceu num ápice. E pude prosseguir com o meu trabalho calmamente.

Onde para a educação destes energúmenos?!
Alguém me ajude.

Até lá, bons post’s ;)

8 comentários:

  1. Há uns tempos passei na rua, a pé, e reparei numa pequena confusão idêntica a esta, razão pela qual nem entrei para o cumprimentar (julgo eu que sei qual é a farmácia).
    É o deixa andar, a lei do desenrasca... prato do dia a dia.
    Em frente à entrada do ginásio que frequento, existe uma zona bem sinalizada onde é proibido estacionar. É uma zona que deve ficar sempre livre para qualquer eventualidade, não só deixarem sair do respectivo transporte as crianças que vão para as aulas de natação ou, por exemplo, uma ambulância... e nesse caso, todos os segundos contam.
    Também existem lugares para deficientes... mas nem isso impede os 'xicos-espertos' assumirem a sua condição de 'deficientes'.... e se calhar são.
    Bom post!
    Grande abraço, tudo de bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Praticamente todos os dias temos que ir informar as pessoas que estão mal estacionadas. É um lugar nosso, pago por nós, e temos todo o direito de "reclamar". Claro que o fazemos educadamente. Há pessoas que não sabem e pedem imensa desculpa, já pessoas que sabem perfeitamente, saem a correr dos carros para que ninguém lhes diga nada e há pessoas que deliberadamente estacionam lá e ainda têm a cara-de-pau de se armarem em superiores e de nos pintarem como maus da fita, que foi o caso deste casal. A questão aqui também é que a polícia demora a chegar para passar a multa, pois caso andasse lá sempre um agente, acredite, o número de "chicos-espertos" iria diminuir drasticamente!

      Obrigado eu pelo comentário e pela visita.
      Abraço ;)

      Eliminar
  2. Isso é um pouco a normalidade dos lugares privativos em vias com mais movimento. Aqui pela zona os lugares privativos de farmácias, clínicas e afins pouco ou nada são respeitados também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só dá vontade de dar uma par de chapos por vezes --'

      Eliminar
  3. Infelizmente, esse tipo de lugares são muito raramente respeitados. É uma tristeza a falta de civismo :\

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar
  4. Já vi acontecer parecido!
    Ninguém respeita ninguém e estão pouco se lixando se tu falas ou não! Por enquanto não tenho voto na matéria por só ter 16 anos e não ter carta! Mas talvez quando tiver carta e carro, vai haver confusão! Odeio pessoas ignorantes que desrespeitam as ordens dos outros!
    Abraços,
    José Pinheiro

    www.curio-so.blogspot.pt

    ResponderEliminar