11 de janeiro de 2017

Vida de Farmacêutico #8

Esta edição vai ser um pouco diferente das restantes. Não, não vos vou contar histórias engraçadas que aconteceram. Vou falar-vos de uma recente notícia que tem gerado (desnecessariamente) o pânico na população em geral.



Esta semana surgiu a notícia de que o INFARMED (órgão legislativo no que concerne a Farmácias e Indústria Farmacêutica) iria suspender a comercialização de alguns fármacos, nomeadamente Metformina (antidiabético) e Paracetamol (analgésico/anti-inflamatório/anti-pirético). Acontece que não mandou suspender a comercialização de TODOS os medicamentos que contenham Paracetamol e Metformina na sua composição.

NÃO!
(Isto vocês têm que entender bem)

Como sabem, existem os medicamentos genéricos que possuem a mesma substância ativa, dosagem e dimensão de embalagem que os medicamentos “de marca”. Possuem um preço mais barato, pois o preço dos medicamentos genéricos não contempla o “dinheiro investido” nos ensaios clínicos antes do fármaco ser comercializado. Enquanto os “de marca” ou “originador” têm que contemplar o valor dos ensaios clínicos. (Muito sumariamente, é assim. Não tão linear, mas acho que dá para vocês terem uma ideia.)

Existem diversos laboratórios de medicamentos genéricos. E são todos legislados. Acontece que os laboratórios, periodicamente, realizam ensaios de controlo de qualidade, a fim de detetar possíveis inconformidades.

Foi o que aconteceu com alguns (repito, com ALGUNS) laboratórios de medicamentos genéricos. Detetaram inconformidades com alguns dos seus produtos (Metformina e Paracetamol) e, para salvaguarda da saúde da população em geral, decidiram retirar TEMPORARIAMENTE os produtos de circulação. Reparem que não estou a dizer definitivamente.

Com isto quero dizer o quê? Que é seguro continuarem a tomar o medicamento dos outros laboratórios de genéricos (ou “de marca”). Ou seja, se foi o Paracetamol 1000mg do laboratório Sandoz que foi retirado do mercado, poderão tomar o Ben-u-ron® 1g (medicamento “de marca”) ou o Paracetamol 1000mg do laboratório, por exemplo, Generis, sem problema algum. Não se vão sentir mal, não vão ficar doentes, nem vão parar ao hospital se o tomarem.

Algo que precisa de ser bem esclarecido é o seguinte: muitas vezes, as notícias “não contam a história toda” e infelizmente, servem para lançar o pânico, que foi o que aconteceu. As pessoas só leram Paracetamol e Metformina. Não ouviram mais nada da notícia, nem de que laboratórios, nem o que fazer caso tivessem esse medicamento em casa. Então o que é que fizeram/estão a fazer? A aumentar o pânico por entre as pessoas e a correrem à farmácia devolver tudo o que eles têm em casa que contenham esses fármacos. Está errado! Deverão continuar a tomar o medicamento e, e isto é MUITO IMPORTANTE, deverão falar com o médico para debaterem uma alternativa.

Por favor, não promovam nem incutam o pânico nas pessoas. Procurem informar-se de como as coisas realmente se passam, do que se passou, e de quais os procedimentos a tomar, antes de se alarmarem. Muita confusão dá asneira e, neste caso, está a preocupar as pessoas desnecessariamente.

Vamos ter um pouco mais de autocontrolo?
Vá lá, eu conto convosco!

Até lá, bons post’s ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário