11 de outubro de 2016

Vai-te embora acne!


Sabiam que a acne é um transtorno cutâneo que afeta cerca de 85% dos adolescentes e que alguns mantêm esse problema na sua vida adulta? Pois bem, para ficarem um pouco mais a par do que é a acne, e muito resumidamente, esta é uma patologia caracterizada por uma hiperatividade das glândulas sebáceas, o que leva a um estado de hiperseborreia; híper-queratinização da epiderme (camada mais superficial da nossa pele), levando ao seu espessamento; proliferação microbiana, maioritariamente Propionibacterium acnes que, por sua vez, poderá levar ao desencadeamento de um processo inflamatório. A acne apresenta as suas lesões mais a nível do rosto, mas também podem estar localizadas no peito e nas costas, sendo os casos mais graves no sexo masculino.

Tal como todas as patologias que afetam a nossa pele ou o nosso cabelo, a acne tem um forte impacto psicossocial, uma vez que diminui a autoestima das pessoas, levando ao seu isolamento, uma vez que não gostam de não estarem no seu melhor estado e não gostam de mostrar as suas lesões. Quem é que gosta?

Mas porque é que a acne surge?
As alterações do sistema hormonal, e dependendo da sensibilidade do organismo de cada um de nós, levam ao aparecimento da acne, por isso é que é mais frequente verificar casos de acne em jovens adolescentes (durante a puberdade) ou, em menor escala, em certos momentos da menstruação da mulher. No entanto, parece haver uma tendência genética que é influenciada por fatores hormonais, ambientais, cosméticos (cada vez mais frequente) e emocionais.

Como se manifesta?
Sob vários tipos de lesões, como por exemplo:
- Pústulas / Espinhas – lesões de acne que contêm pus e são vermelhas na base;
- Máculas – manchas na cor da pele;
- Nódulos – lesões endurecidas e mais profundas;
- Cistos inflamados – grande lesão inflamada que contém pus;
- Cravos brancos e/ou pretos – apenas cravos, não contêm lesão inflamatória.

Independentemente do tipo de lesão que uma pessoa possa apresentar, estas NUNCA, mas mesmo NUNCA, devem ser espremidas, uma vez que vão piorar o estado da pele, o que pode levar ao aparecimento de marcas e cicatrizes que não desaparecem com o tempo!

Existem vários tipos de acne?
Sim! Existem vários tipos de acne, havendo diferentes razões para cada um deles aparecer. Para além da acne propriamente dita, poderão haver situações em que, apesar das pessoas não se encontrarem na “idade” de desenvolverem acne, apresentam sintomatologia da mesma.

Quais?
- Acne cosmética: devido ao mau uso dos cuidados de beleza, ou uso de produtos demasiado oclusivos, não permitindo uma correta respiração por parte da pele;
- Acne gravítica: variações hormonais durante a gravidez;
- Acne pré-natal: casos muito raros de acne em que o bebé possui lesões de acne mas normalmente desaparecem ao fim de pouco tempo.

Como combater o problema?
Os tratamentos podem variar entre cuidados de limpeza e hidratação da pele (acne ligeiro) a tratamentos com antibióticos e anti-inflamatórios (acne inflamatória e polimórfica). Neste último caso, o tratamento é SEMPRE indicado por um médico dermatologista. Uma coisa que tens de ter em atenção é que este tratamento leva o seu tempo. Não esperes que a acne desapareça da noite para o dia. Estes tratamentos podem durar anos, dependendo do caso de acne que uma pessoa possa apresentar e de como a pele está a reagir aos tratamentos.

Assim, os tratamentos são os seguintes:
- Acne ligeira: limpeza com produtos específicos para uma pele oleosa com tendência acneica, desde que não sejam demasiado deslipidantes, ou seja, desde que limpem sem remover em demasia o sebo da nossa pele. Caso contrário, a pele encara a limpeza como uma agressão e as glândulas sebáceas irão produzir uma maior quantidade de sebo – o chamado “efeito rebound. Para além disso, deverão ser utilizados produtos hidratantes mas com uma componente matificante, para reduzir o brilho e absorver o excesso de oleosidade da pele.
- Acne moderada a severa: é sempre indicado por um médico dermatologista: passa por usar cremes e/ou pomadas com antibiótico, bem como anti-inflamatórios ou retinoides. Nestes casos, e uma vez que estes produtos podem provocar secura da pele, é importante utilizar um creme hidratante compensador, para repor a componente lipídica da pele que é removida durante este tratamento, bem como um bálsamo labial e, eventualmente, lágrimas artificiais, uma vez que pode ocorrer secura das mucosas labial e ocular.

Independentemente do tipo de acne que uma pessoa possa apresentar, um cuidado muito importante e IMPRESCINDÍVEL é o uso de um protetor solar, de preferência com um fator de proteção solar elevado (FPS 50+), pois o sol exacerba as lesões da acne. Por isso é que em Setembro/Outubro, as peles com acne costumam ficar mais “feias”!

E quanto à alimentação? Posso comer e beber de tudo?
Sim e não! O importante é ingerir uma correta quantidade de água. No entanto, existem alguns estudos que relacionam o consumo de chocolate e de leite de proteína animal com uma maior incidência da acne.

Sofrem de acne? Já sofreram?
Partilhem a vossa experiência!

Até lá, bons post’s ;)

2 comentários:

  1. Adorei o post. Sempre muito completos.
    Um abraço e muito sucesso

    http://blogsimplethingsofmylife.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Que post maravilhoso! Arrasou amigo. Estudo estética e fico muito feliz quando encontro posts tão bem colocados. Parabéns mesmo.
    Estou seguindo para acompanhar tudo.

    Um beijo,
    www.esteticando-se.com

    ResponderEliminar