5 de julho de 2016

O MITO dos champôs sem sal

Meus caros e minhas caras, como vão? Estes dias quentes de Verão que vieram para ficar é que nos dão boa disposição e vontade de aproveitar ao máximo os dias. Sorte de quem está de férias, pois pode aproveitar os dias solarengos para irem à praia e ganharem aquele bronze (ou escaldão, dependendo do tipo de pele, dos cuidados que têm para se proteger do Sol e das horas a que se expõem ao Sol...). Àqueles que trabalham durante a semana - como eu - resta fazer figas e esperar que o fim de semana nos sorria com o bom tempo para ir à praia ou dar um passeio pelo parque.

Atendendo ao bom tempo que temos tido, e tendo em conta a estação do ano em que nos encontramos, venho-vos falar de um tema que muito me tem posto a "dar voltas à cabeça" e a explicar quase um cento de vezes a mesma coisa às pessoas (para depois as mesmas não ligarem nenhuma àquilo que lhes explico): os champôs (alegadamente) sem sal e a sua influência (ou não) nos alisamentos químicos capilares.


Muitos são os cabeleireiros que fazem alisamentos químicos (agora que penso nisto, se calhar são todos, não?) e as mulheres (nunca ouvi falar de um homem que tenha feito este tratamento) saem de lá com uma "lavagem cerebral" daquelas que vêm obstinadas com uma coisa apenas - só podem usar champô SEM sal. Caso contrário, o cabelo deixa de estar liso e volta ao estado que estava antes de fazer o alisamento.

Se ainda esta teoria tivesse pés e cabeça, bem como fundamentação científica, eu não estava aqui, mas não tem. Sim! Leram bem! NÃO TEM! Tão simples quanto isto!

Passo a contar-vos a história do alisamento químico capilar: foi há alguns anos, em terras de Vera Cruz (estou a falar do Brasil, ok?) que esta técnica primeiramente surgiu. O que é que se passa durante este processo? Não querendo entrar em pormenores muito técnicos (mas entrando, quase que obrigatoriamente), a haste capilar é constituída por queratina que se encontra ligada por pontes dissulfureto. Quando as mulheres iam para a praia, para além de ficarem na toalha a apanhar sol e se bronzearem, iam tomar banho na água salgada, ficando o sal da água do mar "agarrado" ao cabelo. Este sal (cloreto de sódio) restitui as pontes dissulfureto da queratina capilar, fazendo com que o cabelo volte ao seu estado dito "normal".


Devem imaginar o que as brasileiras pensaram, certo? Gastei dinheiro e o alisamento não funcionou. Retornando ao cabeleireiro, e feita a reclamação de que o alisamento não funcionou, os cabeleireiros, com muita informação mas pouco conhecimento (infelizmente, alguns não têm muito conhecimento técnico deste tipo de processos, ou então baseiam-se apenas no que lhes é transmitido pelas marcas ou no que os rótulos dizem ou então nos mitos urbanos), começaram a alegar que o problema tinha sido o sal. Então culparam o sal e começaram a "obrigar" as suas clientes a comprarem champôs sem sal.

Mas será que o sal é mesmo o culpado? Será que existe realmente um champô com 0% de sal?

Não, não existe! TODOS os champôs, e estou mesmo a falar de todos, quer sejam comprados nos supermercados, nas farmácias ou nos cabeleireiros, possuem sal na sua composição. Qual a função do sal num champô? É um elemento que vai conferir viscosidade (espessante) ao champô. Normalmente, encontra-se em quantidade inferior a 2%.

Afinal, porque é que há esta polémica toda do champô sem sal? Talvez devido ao facto de as pessoas não terem pensado no seguinte: a água salgada tem uma ELEVADA concentração de sal (muito mais que 2%), enquanto num champô, tal como já referi, tem apenas 2%. Como não conseguiam perceber o porquê, a informação que passavam (e que, infelizmente, em alguns cabeleireiros continuam a passar) é que quem faz alisamento químico não pode, de todo, utilizar champôs com sal. Se é assim, bem que não lavam o cabelo nunca...

Podem, seguramente, utilizar um champô "normal", o champô que utilizam normalmente e que utilizavam antes do alisamento que não há risco nenhum de "perderem" o alisamento. Podem confiar ;) Quando forem à praia, depois de sair da água do mar, terão que obrigatoriamente passar o cabelo por água doce, para manterem o vosso cabelo liso. Mas isto porque a água do mar tem uma concentração de sal muito, mas mesmo muito, maior que um champô.

Se mesmo assim, acham que aquilo que estou a dizer não faz sentido, proponho-vos o seguinte: num copo com 100ml de água (que correspondem a 100g) coloquem 2g de sal de cozinha (cloreto de sódio) e mexam.

O sal mantém-se no seu estado sólido ou dissolve-se?
O que acontecerá à minúscula quantidade de champô que colocamos em cada lavagem quando a água passa no cabelo para o retirar?
Será que não o dissolve?
O champô mantém-se no cabelo depois de o passarmos por água?

Cheguem às vossas conclusões e depois digam-me alguma coisa ;)

Uma vez que este texto já está muito longo, só vos deixo um conselho: pesquisem! Informem-se! Quando lerem num blogue ou numa revista ou ouvirem alguém a dizer qualquer coisa sobre este ou outro assunto qualquer, façam a vossa própria pesquisa. Tentem informar-se com especialistas na área, que vos dêem uma explicação válida e que faça sentido. Não estou com isto a dizer que eu, Ricardo, sou melhor que A, B ou C só por publicar este texto. Não. O que vos peço é que pesquisem e que questionem tudo o que vos dizem. ;)

Deixo-vos apenas uma nota final:

Champôs SEM sal não existem!

Não utilizar champôs com sal depois dos alisamentos químicos é mito. É apenas uma jogada de marketing da indústria. Se virem na composição dos produtos, mesmo aqueles que alegam "Sem Sal" nas embalagens, vão encontrar "cloreto de sódio" lá ;)

1 comentário:

  1. Hello :)
    Infelizmente tens razão quando dizes que os nossos cabeleireiros por vezes não têm conhecimentos... Quantos são aqueles que fazem formação e atualização de conhecimentos? Uma minoria.
    Eu só agora, ao fim de quase 25 anos, é que descobri uma boa cabeleireira, que faz montes de formação, formações em novidades... E foi a primeira que em anos, conseguiu cortar-me o cabelo na primeira vez que a conheci, tal foi a confiança que me transmitiu.

    Infelizmente muita gente cai na esparrela desses conselhos básicos, porque se é cabeleireira sabe mais do que sei lá o quê.

    FELIZMENTE há pessoas como tu que esclarecem todas estas coisas.

    Beijinho ****

    ResponderEliminar