19 de julho de 2016

Compreensão procura-se...

Isto aconteceu hoje numa clínica.


Acompanhei o meu Pai numa consulta de ortopedia aqui numa clínica do Porto. Passei lá a manhã porque o meu Pai foi à consulta, depois fez o raio-X e a ressonância magnética, ficamos novamente à espera da consulta e depois foi fazer o tratamento ao joelho - razão pela qual fomos à clínica para começar.

Até aqui tudo bem. Tivemos os nossos tempos de espera normais, como em qualquer clínica. No entanto, na parte da ressonância magnética, enquanto o meu Pai foi fazer os exames, eu fiquei na sala de espera. Acho que toda a gente sabe que quando se faz estes exames, é necessário ficar um bocado à espera até que as "chapas" saiam e sejam entregues ao paciente (utente?) em questão. As coisas não ficam prontas instantaneamente, não somos os únicos a fazer exames logo, terá que haver sempre algum tempo de espera.

Nisto, uma senhora, num espaço de 30 minutos, pergunta pelo menos quatro vezes se os exames dela já estão prontos, pois não consegue ficar sentada muito mais tempo e que está cansada de estar na clínica. Entendi a senhora.

Quem é que gosta de estar num hospital?
Quem é que gosta de estar doente/lesionado/magoado/com problemas? 

Ninguém está num hospital porque gosta, ou porque gosta de falar com os médicos, enfermeiras,...

Um pouco mais de compreensão e de consideração pelo trabalho das pessoas e de quem trabalha lá é necessário. Existem muitos exames a serem tratados ao mesmo tempo e mais cedo ou mais tarde os de cada um saem. É preciso é saber esperar, por muito que nos custe...

3 comentários:

  1. bem dito. eu normalmente ando sempre com pressa, mas sei esperar. as coisas não se fazem instantaneamente. e as pessoas as vezes esquecem-se disso.

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Hello hello
    Sim, é verdade que muitas vezes as pessoas perdem a paciência... E é triste ver como as vezes tratam as pessoas....
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Acho que vou voltar a escrever ... que falta de bom senso dessa senhora, nada é instantâneo.
    Blog LopesCa | Facebook

    ResponderEliminar