30 de junho de 2016

Vida de Farmacêutico #5

Olá meus caros, como vão?

Sei que ando desaparecido há algum tempo. Sei que não tenho vindo aqui à blogosfera há já algum tempo mas que é que eu posso dizer? Penso que já muitos bloggers passaram por um momento destes.

Bloqueio?
Falta de inspiração?

Bem, mas pelo menos aqui estou eu, hoje, a retomar uma das minhas rubricas - Vida de Farmacêutico. Descansem! ;) Não venho falar de tampões nem de pensos higiénicos, nem de pílulas do dia seguinte, mas sim de um outro tema que se coaduna, e bem, com o clima que ultimamente temos tido - a protecção solar. Fica aqui uma situação que me aconteceu esta semana:


F (Farmacêutico) - "Tendo em conta que o seu tom de pele é muito claro, aconselho-a a utilizar um factor de protecção solar de pelo menos 30 ou mesmo 50+"
U (Utente) - "Tenho de pensar, sabe? É que eu ainda não sei se preciso de levar o protector solar porque eu já fiz praia aqui e não sei se vou para Espanha este fim-de-semana."
F - "Independentemente do local onde vai fazer praia, é importante proteger-se do sol. A radiação ultravioleta encontra-se em todo o lado, quer seja aqui, quer seja em Espanha."
U - "Ah mas se eu for para lá eu não preciso de protector solar."
F - "Não?" (o.O)
U - "Não. Lá é mais calor. Para que é que eu preciso de protector solar? Ainda para mais já fiz praia aqui em Portugal, por isso, se for para lá este fim-de-semana, nem levo protector solar".

Teoria bastante interessante que esta utente me apresentou:
Quanto mais alta a temperatura e/ou maior a radiação solar, menor a quantidade de protector solar necessária e menor índice de protecção também.

Se calhar até podemos usar óleo Fula (publicidade à parte) ou óleo Johnson (idem) para ficarmos bronzeados mais depressa. Ah, já sei: misturamos coca-cola e óleo Fula (idem) e toca a besuntar o corpo para ficar morenos logo ao fim de duas horas de praia (tipo, das 12 ás 14 horas que é quando o Sol está top! --' )

Depois as queimaduras solares aparecem e aí é o ai Jesus... E tendo em conta que a nossa pele tem memória celular, daqui a alguns anos se aparecerem manchas ou outras complicações mais "chatinhas", vão lembrar-se que se calhar o protector solar até serve para alguma coisa... e que a pessoa que nos estava a aconselhar até tinha a sua razão em me falar daquela forma.

Pessoal: independentemente da estação do ano, do sítio onde estão, das horas a que se expõe ao Sol (obviamente que entre as 11 e as 16 horas deverão evitar uma exposição solar directa!!!), do sexo e do número de dias que já fizeram praia, se o céu está limpo ou encoberto, TÊM QUE UTILIZAR protector solar no rosto e nas zonas expostas do corpo. Sejam responsáveis! Pensem um bocadinho. Estamos a falar da vossa vida, da vossa saúde e do vosso futuro. Quem é que quer ter cancro cutâneo? Melanoma?

Vá lá pessoal, um pouco de responsabilidade fica sempre bem... para além que faz maravilhas ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário